FIQUE POR DENTRO DO NOSSO CONTEÚDO, CADASTRE-SE E RECEBA AS NOVIDADES POR E-MAIL:

Próxima sessão: Curta-metragem

23/11 às 14h

Programação (clique sobre a data para ter mais informações)

Sexta, às 12h

 

Bate-papo online com a filósofa Djamila Ribeiro

Sexta, às 22h30

DE CABRAL A GEORGE FLOYD, ONDE ARDE O FOGO SAGRADO DA LIBERDADE| I Festival Cinema Negro em Ação

2h12min –  2020 – Longa – 12 anos – Ogum Filmes – RJ
Direção: Paulinho Sacramento

Participações Ailton Krenak, Abdias do Nascimento, Leci Brandão, Gilberto Gil, Emicida, Djamila Ribeiro, Malcon X, Marielle Franco, Angela Davis, Toni Morrison, Taís Araújo, Bia Ferreira, Aisha Jambo, Conceição Evaristo, Silvio Luiz de Almeida, Luiz Antônio Simas, Preta Ferreira, Atila Roque, Sueli Carneiro, Sonia Guajajara, Milton Santos, James Baldwin, Zezé Motta, Martin Luther King, Benedita da Silva, entre outros

Através de recortes de depoimentos históricos e relatos importantes de diversas personalidades negras do mundo, o filme traça uma linha narrativa entre a construção do racismo no Brasil e nos Estados Unidos.

Sábado, das 18h às 19h.

ESPERANDO SPIKE LEE BRASILEIRO|  I Festival Cinema Negro em  Ação2min – 14/07/2020 – Videoclipe – RJ

Direção: Lobo Mauro

Composição: Walter Mazzoni

Elenco: Elisa Lucinda, Gabriel Martins, Glenda Nicácio, Joel Zito Araújo

Vozes: Helô Vittal (solista), Emanuelle Cardoso (soprano), Flávia Reis (mezzo-soprano), Walter Mazzoni (contratenor), Paulo Hoffmann (tenor), Carlos Morais (baixo)

Uma roteirista convida, para seu projeto de série sobre Marielle Franco, um cineasta branco consolidado no mercado. Questionada por não ter ela, feminista branca, indicado uma cineasta negra ou negro, ela se justifica afirmando que no Brasil ainda não nasceu um Spike Lee.

_________________________________________

PRETO RAIZ| I Festival Cinema Negro em  Ação
4min – 23/10/2020 – Videoclipe – Psicobeats – SP

Direção: Elton Oliveira, José Roberto e Rafael Melo

Vozes: Kadesh, .Funk Buia e Negrifero

Trompete: Fábio Miranda

Preto Raiz é um grito, uma celebração e acima de tudo uma convocação, para todos aqueles que vivem e sentem na pele, o preconceito racial e o racismo velado que é comum no Brasil e no mundo. Exaltação dos valores e da beleza que a cultura africana possui, que é também sinônimo de resistência, força e luta.

______________________________________________

POR QUE NÃO?| I Festival Cinema Negro em  Ação
4min – 21/09/2018 – Videoclipe – RS

Direção: Alexandre Mattos Meireles

Voz: Mano Rick

“Por que não?” propõe uma reflexão em torno de questões que habitam os pensamentos de grande parte dos jovens negros que residem nas periferias; estes, que desde cedo são ensinados a acreditar que seus objetivos e sonhos não serão reais, já que as possibilidades são mínimas.

_______________________________________________

TRANSE| I Festival Cinema Negro em  Ação
4min – 01/08/2020 –  Videoclipe – SP

Direção: Gabrela 

O vídeoclipe ilustra as ideias da primeira faixa da mix, “Transe”, inspirada nas experiências de Gabrela com a medicana da Ayahuasca e o conhecimento decodificado através da sua voz

__________________________________________________

CHATO- Marco Gabriel| I Festival Cinema Negro em  Ação
5min – 24/09/2020 – Videoclipe – ClockWork Filmes – MA

Direção: Jessica Lauane

Voz: Marco Gabriel

Participação: Débora Melo

Elenco: Arthur França, Débora Melo, Edilla Costa, Iete Abreu, Jô Brandão, Joane Vitória, Linara Danny, Mariana Santos, Matheusinho na Voz, Paula Ashanti, Saymon Silva, Suathe Silva, Thiago Kalebe, Vulgo Wil, Vulgo WS

Em “Chato” Marco Gabriel mostra um subúrbio que, muitas vezes, não é visto pela sociedade e que consegue ser bonito e cheio de riquezas culturais, mesmo em meio à pobreza e falta de atenção do estado.

__________________________________________________

PRA VERDADE ESTREMECER|  I Festival Cinema Negro em  Ação
5min – 11/06/2014 – Videoclipe – Cineclube Bamako e o Centro de Comunicação e Juventude(CCJ) – PE

Direção: Gabriel Muniz

Todas as cenas do vídeo foram captadas em diversas locações do bairro da Várzea e retratam a banda e o protagonista Antônio “Rasta” em situações que deixam claro a viabilidade de deslocamento fluvial em pleno Rio Capibaribe, bem como o contraste urbano em pleno trânsito da cidade. 

__________________________________________

KILLA- Enme| I Festival Cinema Negro em  Ação
3min – 31/08/2019 – Videoclipe – Clockwork Filmes – Sotaque Produções – MA

Direção: Jessica Lauane

Composição: Enme

Participação: Cazumbá, Magno Roots 

“Killa” da Enme é uma homenagem ao reggae do Maranhão e ao Point Magno Roots. Vencedor dos prêmios Melhor Performance de Videoclipe 2019, Melhor Direção de Videoclipe 2019 e  1° Lugar na Feira da Música 2020.
___________________________________________

MAGARITA|  I Festival Cinema Negro em  Ação
4min – 11/07/2020 – Videoclipe – Vitrine Criativa – SP

Direção: Carolyne Cristine e Edevair Roni

Música: Samant e Fanieh

Vídeoclipe da música  Magarita realizado pelo grupo de dança Black Honey.

_______________________________________________

BAILE PESADÃO| I Festival Cinema Negro em  Ação
4min – 21/03/2018 – Videoclipe – RS

Direção: Jonatan Tavares

Letra: Camila Flores

Baile Pesadão é o primeiro videoclipe de MC Camilinha. A artista porto-alegrense mistura funk e trap para criar um clima descontraído e exaltar a cultura preta, periférica e LGBTQIA+. Foi gravado no Quilombo do Areal, um dos primeiros quilombos urbanos de Porto Alegre.

__________________________________________

CRISTAL- Ashley Banks| I Festival Cinema Negro em  Ação
4min – 15/12/2019 – Videoclipe – MDN Beatz – RS

Direção: Cleverton Borges

Música: Ashley Banks

Videoclipe que conta a ascensão de uma jovem negra atrás da música e poesia.

_________________________________________

BATIDÃO- Enme|  I Festival Cinema Negro em  Ação
3min -20/02/2020 – Videoclipe – Noize Men – MA

Direção: Jessica Lauane

Bailarinos: Gabriel Braga, Glei Araújo, Guylherme Martins, Isabelly Serra, Kellen Lopes, Nalbert Alves, Nuilane Lago, Ronny Souza, Yuri Pinheiro

Coreografia: Yuri Pinheiro

O videoclipe Batidão, que conta com a presença do fiel ballet de Enme e participações especiais, traz um ambiente em neon, fazendo referência a clipes de divas pop como Beyoncé e Rihanna.

__________________________________

VOCÊ BAGUNÇOU COMIGO – Yhago Sebaz feat. ALLVDIN| I Festival Cinema Negro em  Ação
5min – 01/05/2019 – Videoclipe – Clockwork Filmes – MA

Direção: Jessica Lauane

Compositor:  Yhago Sebaz

Relacionamentos abusivos não limitam o gênero ou a preferência sexual e podem surgir como grandes paixões. Foi assim que começou “Você Bagunçou Comigo”, videoclipe de Yhago Sebaz .

____________________________________________

FILHA DO SOL – Monique Brito  I Festival Cinema Negro em  Ação
3min – 20/02/2020 – Videoclipe – Nucleone Concept – RS

Direção: André Luis Ferreirah

Filha do Sol, apresenta o astro rei como fio condutor de identidade e afeto. Comparando a pele de pessoas pretas ao ouro, o mais valioso dos metais, a obra chama para o resgate de grandezas ancestrais. Retrata, também, diversas formas de amor afrocentrado, tendo a ancestralidade como esteio para novas perspectivas de futuro. 

_______________________________

AZUL| I Festival Cinema Negro em  Ação
5min – 26/06/2020 Videoclipe – RS

Direção: Dona Conceição

Música: Luciane Dom (voz), Dona Conceição (voz e percussão), Gutcha Ramil (voz), Andressa Ferreira (voz), Diogo Martins (guitarra), Dionisio Souza (baixo)

Segundo Dona Conceição, “Azul” é “uma música que fala do afeto, amor e tempo”: “O tempo é ainda um movimento que mais nos ensina , e através dele podemos ser seres melhores , repensar nossos erros, perdoar, ser amados e principalmente se amar”.

_________________________________________

É NO MAR| I Festival Cinema Negro em  Ação
4min – 01/11/2020 – Videoclipe – CE

Direção: Alisson Severino

Intérprete – Simone Sousa 

Compositoras – Adelane Delmondes, Annalies Borges, Celiane Teixeira e Simone Sousa 

O medo de ir adiante Sair e voar e subir Que bate e vem nesse instante E leva pra longe dali Um Mar de gente, mercados populares, cores vivas e grande movimento. Com imagens criadas entre a ficção e o documental o clipe cria o universo de uma grande feira onde Simone Sousa se apresenta.

___________________________________

ALUMIOU| I Festival Cinema Negro em  Ação
3min – 18/08/2020 – Videoclipe – BA

Direção: Adriele Regine e Heraldo de Deus

Composição: Alan Rocha

O cantor carioca Alan Rocha filmou propositalmente em Salvador, que é o berço da cultura negra no Brasil, tema muito discutido na música Alumiou. O videoclipe é repleto de signos relacionados à cultura afro-brasileira, como a capoeira, o atabaque, o berimbau, a relação com os idosos, a religiosidade e muito mais.

____________________________________________________

ENCRUZILÈ|  I Festival Cinema Negro em  Ação
2min – Videoclipe – BA

Direção: Cire das Virgens

A força da reza é um elemento que faz parte do ser humano e tem o poder de acalentar, encorajar, e tornar a vida mais leve, retirando toda dor que venha nos rodear, animação afrocentrada na espiritualidade e na sabedorias dos Griò, Os nossos mais Velhos e mais Velhas. 
___________________________________

A CAIXA| I Festival Cinema Negro em  Ação
1min – 12/11/2020 –  Animação –  Festival Permanente do Minuto – SP

Direção: Mônica Zonta

Em tempos de quarentena, o personagem principal encontra-se em profunda tristeza. Enquanto todos seguem suas vidas, ele não consegue ao menos perceber o passar dos dias. Até que algo o surpreende e transforma sua relação com o momento.

______________________________________

SHIDUMALI|  I Festival Cinema Negro em  Ação
4min – 18/11/2019 – Videoclipe – RodoFerrô Filmes – DF

Direção: Renan Montenegro

Vídeoclipe da música Shidumali, que pertence ao álbum Guitarrafrika do artista Dillo.O projeto GUITARRÁFRIKA pode ser definido como: “música instrumental voltada para dança”, esteticamente costurado pelas guitarras com sotaque amazonense porém tocadas sobre matrizes rítmicas africanas

sábado, das 21h30 às 23h30

ENTRE NÓS E O MUNDO| I Festival Cinema Negro em  Ação

17min – 2019 – Drama – SP

Direção: Fabio Rodrigo

O diretor faz um retrato emocional do momento de vida de sua prima Erika que teve um de seus dois filhos, Theylor de 16 anos, recentemente assassinado em uma abordagem policial e está preocupada com o outro, Nicolas, de 17. Erika está grávida. Medo, dor e felicidade se misturam demais na periferia de São Paulo.

______________________________________

FAIXA DE GAZA|  I Festival Cinema Negro em  Ação
16min – 2019 – Ficção – PB

Direção: Lúcio César Fernandes Murilo

Em um conjunto habitacional de periferia Mago chefia um bando de jovens aliciando e cometendo crimes em meio a uma guerra de facções noticiadas pelas ondas do rádio. Nazaré e Naldin se deparam com a violência desse conflito, pois ambos estão no lugar errado: a faixa de gaza.

______________________________________________

ENTRETURNOS|  I Festival Cinema Negro em  Ação
1h22min – 2014 – Drama – ES

Direção: Edson Ferreira

Elenco Principal:  Paulo Roque, Lorena Lima, Luis Miranda

Entreturnos é um filme sobre pessoas comuns. Um cobrador de ônibus, uma dona de bar, uma atendente de caixa. Há pouco charme na vida de tais personagens, mas isso não as torna menos importantes. Pelo contrário, a naturalidade e a simplicidade dos protagonistas da trama criam uma estrutura muito interessante, sem vilões, mas com humanos.

Domingo, 20h às 21h15.

 

A DIÁSPORA| I Festival Cinema Negro em  Ação
3min – Videoarte – RS

Direção: Andre Luis Ferreira Rocha

A Diáspora, , projeto de obra audiovisual do gênero documentário, é resultado do amadurecimento do produtor audiovisual Luis Ferreirah, que, com esta proposta, ambiciona evoluir à condição de diretor. O trabalho surge como resultado de sua paixão/pesquisa/vivência por duas linguagens artísticas que o constituem e o revelam: a imagem e a música. 

_____________________________________________

A PARTIR DAQUI|  I Festival Cinema Negro em  Ação
10min – Videoarte – MG

Direção: Felipe Oládélè

“A partir daqui” é uma apologia ao afrocentrismo, um chamado para o aquilombamento. Criado pelo ator, diretor e dramaturgo Felipe Oládélè o espetáculo é uma “possibilidade de reconstrução de uma sociedade, reconstruir a si, restaurar a sua integridade espiritual, cultural e histórica, buscar uma criação de identidade”.

_____________________________________

TECER I SER| I Festival Cinema Negro em  Ação
10min – Videoarte – RS

Direção: Ana Longone

A performance foi produzida durante a pandemia da Covid19 como uma solução artística na produção de uma narrativa transmídia sobre as minhas “artescrevivências” em um lugar chamado Passo dos Negros , em Pelotas. Para dar conta das portas fechadas pela pandemia, abri a janela da performance e (re)criei a figueira centenária que está localizada em uma encruzilhada na região do P.N. na parede do meu quarto.

____________________________________________

CANUDOS EM MINHA PELE|  I Festival Cinema Negro em  Ação
2min – 10/07/2020 – Videoarte – PE

Direção: Rosa Amorim

A vídeo-arte “Canudos em Minha Pele” foi criada durante o período de quarentena no Assentamento Normandia, localizado na cidade de Caruaru, agreste Pernambucano. A performance provoca através do olhar da seca, fome e resistência histórica do povo brasileiro, de Malês, Canudos, Balaiada e atual luta pela Reforma Agrária, a não esquecer do passado, agir no presente pensando no futuro dos que virão. 

______________________________________

MARIAR UM  MAR DE POESIAS|  I Festival Cinema Negro em  Ação
2min – Videoarte – BA

Direção: Natalyne Santos

Mariar Um mar de Poesias, traz em sua essência histórias do manguezal, vivenciadas por mulheres negras, marisqueiras que tem o mangue como meio de subsistência – trabalho e lazer; O casamento da música com o teatro, a poesia e a força da ancestralidade negra traduzida na história oral, ganha força no áudio visual. 

______________________________________________

ÈRINLÉ|  I Festival Cinema Negro em  Ação
3min – Videoarte – GO

Direção: Aristótelis Cardoso dos Santos

Orixá da cura em sua vasta natureza. Manutenção do corpo que se planta. Mandingando com sol e chuva cuidando de si.

_____________________________________________

O RIO EM MIM|  I Festival Cinema Negro em  Ação
3min – Videoarte – SP

Direção: Petyta Reis

O rio em mim é uma performance, sobre as sensações desse atual momento que estamos vivendo, cheio de angústias e incertezas quanto ao futuro. São tantas horas de ócio que não sabemos o que fazer, ao mesmo tempo que somos massacrados para sermos produtivos.

__________________________

RITUAIS VIRTUAIS|  I Festival Cinema Negro em  Ação
4min – Videoarte – RS

Direção: Valéria Barcellos

Rituais Virtuais,mostra o cotidiano fictício (ou não) de uma travesti e seu amor próprio. Numa sociedade que isola pessoas trans,viver em isolamento é lugar comum. O artista traça um paralelo de viver sozinho e só viver. Como quando artistas só vivem, por e quando, distribuem suas artes.

________________________

SAMBARACOTU- Em Busca de um Corpo Brasileiro| I Festival Cinema Negro em  Ação
10min – Videoarte – RS

Direção: Álvaro Rosa Costa

Sambaracotu – em busca de um corpo brasileiro, é um vídeo arte no qual a dança urbana dialoga com as sonoridades brasileiras. Funciona como um manifesto, produzido desde a dimensão ética, estética e poética através de uma recomposição de movimentos da cultura de domínio popular e da pesquisa de estruturas coreográficas múltiplas.

______________________________________

TRAVESSIA| I Festival Cinema Negro em  Ação
5min – Videoarte – Portugal

Direção: Terra Assunção

O vídeo permeia uma pesquisa artística do artista que se debruça sobre o monumento Padrão dos descobrimentos (Lisboa, Portugal) e os modelos de cartas descritivas escritas pelos navegadores portugueses a partir do séc XV. A representação histórica do monumento é colocada em questão a partir do olhar de uma pessoa originária de um país colonizado por Portugal, Brasil, ao chegar pela primeira vez no Padrão dos descobrimentos.

_____________________________________________

VISÃO EMBAÇADA| I Festival Cinema Negro em  Ação
7min – Videoarte – RS

Direção: Marina Kerber

As sequelas de uma conjuntivite adenoviral deixam a visão embaçada. Através de uma visão artística e estilizada de um exame oftalmológico, o filme revela sensações experimentadas pela paciente. 

____________________________________________________

UM POUCO DO CIRCO NA ESQUINA| I Festival Cinema Negro em  Ação
33seg – Videoarte – RS

Direção: Marcelo Franco Bonifácio

Um pouco do Circo na esquina da Venâncio Aires com a João Pessoa, enquanto o sinal está fechado para os carros é aberto para estes amigos mostrarem seu maravilhoso trabalho circense em 0:30 segundos

_________________________________________________________

MEU CORPO NÃO É MEU| I Festival Cinema Negro em  Ação
3min – Videoarte – PR

Direção: Flora Suzuki e Grazi Labrazca

Uma mulher e outros milhões querem seus corpos de volta para retornarem aos seus caminhos. Não é seguro.

________________________________________________

MARIELLE| I Festival Cinema Negro em  Ação
1min – Videoarte – BA

Direção: Lene Nascimento

Poema Marielle feito pelo autor Maurício Witczak ,inspirado em Marielle , o que ela é e o que ela foi nessa sociedade.

______________________________________________

CAMINHO NOIR| I Festival Cinema Negro em  Ação
4min – Videoarte – RS

Direção: Anderson Simões

Caminho Noir é uma videoperformance/videoarte realizada a partir do conto homônimo de Anderson Simões.. Na obra, o narrador/performer nos convida a adentrar o íntimo da personagem tratada no conto, uma mulher que, transitando pelas ondas sombrias de seu Ser e apegada a algumas muletas de amparo para suportar a dor que não consegue suportar, realiza sua busca incessante pelo processo do autoconhecimento e lapidação de sua própria persona.

_____________________________________________

MARVIN. GIF- Part II| I Festival Cinema Negro em  Ação
4min – Videoarte – BA

Direção: Marvin Pereira

Toda imagem é um súplica para o futuro.

_________________________________________________

CURAI-VOS| I Festival Cinema Negro em  Ação
3min – Videoarte – RJ

Direção: Clementino Junior

Omolú é o Orixá das pragas e da cura. Em tempos de isolamento, nele residem os caminhos para uma nova normalidade. 

Domingo, das 21h15 às 23h15.

 

RAÍZES|  I Festival Cinema Negro em  Ação
1h12min – 2017 –  Documentário

Direção: Simone Nascimento e Wellington Amorim

Em busca de suas raízes, Kelton resgata a ancestralidade de sua família e se depara com o apagamento da história do povo negro brasileiro

__________________________________________

JOÃOSINHO DA GOMÉA- O Rei do Candomblé|  I Festival Cinema Negro em  Ação
14min – Curta – RJ

Direção:Janaina Oliveira ReFem e Rodrigo Dutra

O filme apresenta Joãosinho da Goméa como narrador principal de sua história. Com músicas cantadas por ele, performances provocadoras e arquivos diversos que ressaltam o quanto ele é importante para as religiões de matriz africana. A Rainha Elizabeth II disse que se o candomblé tivesse um rei, esse seria Joãosinho da Goméa, o Rei do Candomblé.

______________________________________________________

EU VEJO VOCÊ, ROSAS NEGRAS| I Festival Cinema Negro em  Ação
22min – Curta – BA

Direção: Nando Zambia

Você me vê? Você realmente me vê? Quando você me olha o que você vê? Diante de tantas perguntas o curta-metragem Eu Vejo Você, Rosas Negras nasce da necessidade de dizer e mostrar essas mulheres negras invisibilizadas pela sociedade racista, sexista e machistas. 

____________________________________________________

SOL| I Festival Cinema Negro em  Ação
10min – 14/07/2020 –  Curta – SP

Direção:Higor Mourão

O que se move ao redor da SOL? Um corpo jovem, negro e não binário. O filme esboça as complexidades que transpassam neste corpo dissidente, delineando as (r)existências, as violências, os afetos, os sonhos e a importância de estar viva! Os raios da SOL incomodam e queimam uma sociedade que viola as pessoas que fogem de um “ideal” heteronormativo.

 

Segunda, das 14h às 15h

 

PERIFERICU|  I Festival Cinema Negro em  Ação
20min – Curta – SP

Direção: Nay Mendl, Rosa Caldeira, Stheffany Fernanda e Vita

Luz e Denise cresceram em meio às adversidades de ser LGBT no extremo sul da cidade de São Paulo. Entre o vogue e as poesias, do louvor ao acesso a cidade. Os sonhos e incertezas da juventude inundam suas existências.

_____________________________________________________

AS CANÇÕES DE AMOR DE UMA BIXA VELHA|  I Festival Cinema Negro em  Ação
23min – Curta – RJ

Direção: André Sandino Costa

Uma conversa sobre o tempo: O envelhecer do homem negro gay retratado por Márcio Januário a partir do seu espetáculo homônimo.

__________________________________________________________

EU NÃO NASCI PRA SER DISCRETA|  I Festival Cinema Negro em  Ação
17min – Curta – RJ

Direção: Alek Lean

Jovens descendentes de negros, japoneses, índios e judeus, falam como é difícil ser afeminado num mundo machista até mesmo no meio LGBTQI onde há certa exigência em ser discreto para poder se relacionar afetivamente e ter uma boa convivência na sociedade em geral. 

Segunda, às 17h

 

Bate-papo online com a Família Menezes.

Segunda, das 22h30 às 23h30

 

ENTREMARÉS|  I Festival Cinema Negro em  Ação
20min – Curta – PE

Direção: Anna Andrade

No chão de lama, mulheres compartilham os seus vínculos e vivências com a maré, a pesca, e a Ilha de Deus.

___________________________________________

CONQUIX| I Festival Cinema Negro em  Ação
41min – Longa – SP

Direção:Monike Raphaela e Erick Novais

Duas crianças percorrem as ruas do bairro Jardim da Conquista para irem à feira, mas no meio desse caminho se perdem nas horas e descobrem um mundo através das histórias contadas pelos moradores que fizeram parte da construção do bairro.  

Terça, das 14h às 15h.

 

5 FITAS|  I Festival Cinema Negro em  Ação
15min – Curta – BA

Direção: Heraldo de Deus e Vilma Martins

Em Salvador, todo ano acontece a grande e tradicional festa para Senhor do Bonfim, onde fiéis, turistas e foliões, peregrinam até a famosa igreja para amarrar fitas e fazer pedidos. Dois irmãos, Pedro e Gabriel, ouvem desde cedo as histórias e rezas de sua avó ao Senhor do Bonfim e decidem fugir no dia da lavagem para tentar pedir por uma bola de futebol.

___________________________________________

4 BILHÕES DE INFINITOS| I Festival Cinema Negro em  Ação
14min – Curta – MG

Direção: Marco Antonio Pereira

Após a morte do pai, uma família vive com a energia de casa cortada. Enquanto a mãe trabalha, seus filhos ficam em casa conversando sobre ter esperança.

____________________________________________

HOMEM ATRÁS DA JANELA|  I Festival Cinema Negro em  Ação
8min – Curta – RS

Direção: Naum Roberto Gomes

Naum cresce e conhece sua vizinhança. Enquanto brinca de assustar os pombos, nota a presença de um senhor que assiste aos acontecimentos da rua de sua janela. Os anos passam e Naum percebe o quão marcante é a presença desse homem atrás da janela.

_____________________________________________________

NANA E NILO NA CIDADE  VERDE|  I Festival Cinema Negro em  Ação
10min – Curta – RJ

Direção: Sandro Lopes

Nana, Nilo e Alice viajam para o futuro para conhecerem um lugar incrível, a Cidade Verde, onde a sabedoria de povos indígenas e quilombolas ensinam a cuidar do Meio Ambiente através dos princípios teko porã e ubuntu.

_________________________________________

CORAÇÕES ENCOURAÇADOS|  I Festival Cinema Negro em  Ação
15min – Curta – BA

Direção: Jamile Coelho e Cintia Maria

No cenário fascinante de um Brasil esquecido, Ana reza a espera de um milagre: a chuva. Enquanto isso, João atravessa o sertão na esperança de conseguir levar água para casa, antes que Ana dê a luz.

Terça, às 17h

 

Bate-papo online com o pessoal do Papo de Rua. 

Terça, das 22h30 às 23h30

 

EGUM| I Festival Cinema Negro em Ação
23min – Curta – RJ

Direção: Yuri Costa

Após anos afastado devido à violenta morte do irmão, um renomado jornalista retorna para a casa de sua família para cuidar de sua mãe, que sofre uma grave e desconhecida doença. Numa noite, o jornalista recebe a visita de dois estranhos, que têm negócios desconhecidos com seu pai, esse encontro o faz temer uma nova tragédia.

_______________________________________________

O SEGREDO DA LEOA| I Festival Cinema Negro em Ação
19min – Curta – RJ

Direção: Juliano Viana

Eloyá, uma jovem executiva, acaba de se mudar para sua nova casa. Porém já na primeira noite ela percebe que não está tão sozinha quanto parece e inicia um encontro consigo mesma e toda a força de sua ancestralidade.
_____________________________________

ALFAZEMA| I Festival Cinema Negro em Ação
24min – Curta – RJ

Direção:Sabrina Fidalgo

É carnaval e Flaviana vive um difícil dilema; como se livrar do amante que se recusa a sair de seu chuveiro?_________________________________________
BRASIL ETERNO QUILOMBO| I Festival Cinema Negro em Ação
17min – Curta – RS

Direção: Julio Ferreira
Documentário que retrata a condição no negro na sociedade brasileira mais especificamente gaúcha. Aborda e analisa questões quantitativas na presença do negro como ser humano e parte de uma sociedade de extrema opressão. Faz um relato sobre condições, oportunidades e que é reservado para a raça negra como indivíduo desse eterno quilombo.

Quarta, às 16h

 

Bate-papo virtual com Sirmar Antunes

Quarta, das 17h às 18h

 

ESTRELA SOLITÁRIA| I Festival Cinema Negro em Ação
8min – Curta – SP

Direção: Iwan Silva
Anjo e Altair jogam futebol juntos desde crianças, no time de várzea, Sagrado Coração, time da comunidade onde nasceram. Um deles acaba fazendo o gol da vitória e é o escolhido. A separação parece inevitável. Diante da situação eles vão fazer de tudo para continuar juntos, inclusive revelar seus segredos mais íntimos.
____________________________________________

FLAMINGOS| I Festival Cinema Negro em Ação
13min – Curta – RS

Direção: José Pedro Minho Mello

O time Real Flamingos F.C surge como um grupo de resistência LGBTQ+ no futebol. Eles buscam espaço neste espaço hostil e querem combater o comportamento machista e homofóbico no futebol.
________________________________________________

PROJETO PERIGOSO| I Festival Cinema Negro em Ação
23min – Curta – RS

Direção: Fabrício Zavareze

Baseado no espetáculo teatral Perigoso, o projeto audiovisual busca retratar a subjetividade das experiências da juventude preta, suas complexidades e seus anseios.
___________________________________________________________

INSPIRAÇÕES| I Festival Cinema Negro em Ação
18min – Curta – RJ

Direção: Ariany de Souza e equipe

A Diretora e Atriz principal do filme, Ariany de Souza, é uma jovem da Zona Oeste do Rio de Janeiro que encontrou na música e na poesia às inspirações para vencer os obstáculos que a vida foi colocando em seu caminho.
_________________________________________________________

MULHERES NEGRAS – PROJETOS DE MUNDO| I Festival Cinema Negro em Ação
26min – Curta – SP

Direção: Day Rodrigues e Lucas Ogasawara

Nove mulheres, muitas vozes do presente, sem perder as referências do passado. Através de vivências e reflexões, o documentário levanta questões e instiga em poéticas as minúcias do que é ser mulher negra no Brasil.

Quarta, das 22h30 às 00h30

FILHAS DE LAVADEIRAS| I Festival Cinema Negro em Ação
22min – Documentário – DS

Direção: Edileuza Penha de Souza
O documentário: “Filhas de Lavadeira” apresenta histórias de Mulheres Negras que graças ao trabalho árduo de suas mães puderam ir para escola e refazer os caminhos trilhados pelas suas antecessoras. Suas memórias, alegrias e tristezas, dores e poesias se fazem presente como possibilidades de um novo destino, transformando o duro trabalho das lavadeiras em um espetáculo de vida e plenitude.
___________________________________________________________

OUVIDOCHÃO- IDENTIDADES QUILOMBOLAS| I Festival Cinema Negro em Ação
7min – Documentário – RS

Direção: Gabriel Muniz

Buscando retratar paisagens sonoras em territórios quilombolas, este documentário em progresso aborda a memória e a construção de identidades quilombolas a partir de dois personagens, moradores do Quilombo Família Fidélix (Porto Alegre-RS).

___________________________________________________________

RECEITA DE CARANGUEJO| I Festival Cinema Negro em Ação
20min – Curta – SP

Direção: Issis Valenzuela

Após a morte do pai, Lari e sua mãe vão passar alguns dias na praia. Elas resolvem cozinhar caranguejos, e os bichos, aos poucos, transformam-se em seres luminosos.

_______________________________________________________________

QUERO IR PARA LOS ANGELES| I Festival Cinema Negro em Ação
20min – Curta – RS

Direção: Juliana Balhengo

Maria é uma menina negra universitária que decide fazer sua primeira viagem internacional, o destino escolhido é Los Angeles. Entretanto, o que se revela é que o esforço próprio não é o único propulsor para o alcance desse objetivo.

_______________________________________________

QUE OS OLHOS RUINS NÃO TE ENXERGUEM| I Festival Cinema Negro em Ação
1h14min – 2019 – Documentário – SP

Direção: Roberto Maty

Entrevistados: Nenesurreal, Ca Jota, Vicky Flawless, João Paulo, Kairos Castro, Milena Marine, Luana Hansen, Patrícia Meira, Luz X e Gabriel Matos

O documentário “Que os olhos ruins não te enxerguem” se propõe a discutir a diversidade de gênero, classe e raça dentro da comunidade LGBTQIA+ na cidade de São Paulo. São personagens perc

Quinta, às 16h

 

Bate-papo online com o Macumba Lab

Quinta, das 17h às 18h

 

DITADURA ROXA| I Festival Cinema Negro em Ação
23min – Curta – MG

Direção: Matheus Moura
Yeda, mulher verde, vende pães para sustentar a casa onde vive com seu marido doente. Por meio do contexto das pessoas verdes, conhecemos a realidade de quem vive à margem de uma sociedade roxa e conservadora. Uma oportunidade faz com que Yeda repense sua identidade e seus valores

__________________________________________________________
A 7 TRAGOS DO CHÃO| I Festival Cinema Negro em Ação
20min – Curta – BA

Direção: Ariel L. Dibernaci
Alan reencontra Amira e se vê encurralado em um café numa tarde. O que ele não sabia é que essa tarde podia durar uma eternidade.


___________________________________________________________

FACÃO| I Festival Cinema Negro em Ação
22min – Curta – BA

Direção: Camila Hepplin

Um jovem reservado e solitário, passando por um momento de dificuldade, se arrisca em pequenos delitos para sobreviver. Ao assaltar Pietra, uma jovem apaixonada por cinema, tem sua vida transformada pelos filmes que encontrou na mochila roubada.

 

Quinta, das 22h30 às 00h30

 

RISCADOS PELA MEMÓRIA| I Festival Cinema Negro em Ação
20min – Curta – DF

Direção: Alex Vidigal
O dono de um sebo de discos, em meio a uma compra de LPs de segunda mão, se depara com algo que vai muito além de uma aquisição trivial.

____________________________________________________

NINGUÉM SOLTA A MÃO DE NINGUÉM| I Festival Cinema Negro em Ação
9min – Curta – SP

Direção: Deyvid César e Tobias Terceiro

22 de fevereiro de 2020, sábado de carnaval. Primeira noite de desfiles de carnaval em Bauru, interior de São Paulo. A cidade, com longa tradição carnavalesca – e com sambódromo próprio, passa por uma crise que ganha proporções políticas quando seu acontecimento é ameaçado por uma ação popular cujo objetivo é impedir as comemorações do momo. Em meio a tudo isso, o Grêmio Recreativo Carnavalesco Estação Primeiro de Agosto , luta para desfilar e apresentar um show digno ao público.


_____________________________________________

CONSTRUINDO POESIAS| I Festival Cinema Negro em Ação
17min – Curta – BA

Direção: Ricardo Soares

O educador, compositor e escritor baiano Juraci Tavares conta um pouco da sua trajetória de vida, o processo de compreensão do racismo e sua opção por uma literatura negra que traz questionamentos e inquietações. A narrativa é entremeada por suas músicas e poesias, muitas das quais estão associadas à história do Ilê Aiyê e de outros famosos blocos afro de Salvador.


_______________________________________________

ARGUS MONTENEGRO E A INSTABILIDADE DO TEMPO FORTE| I Festival Cinema Negro em Ação
1h17min – 2012 – Documentário – Artéria Filmes e Okna Produções – RS

Direção: Pedro Isaias Lucas

Um mito da bateria enfrenta o anonimato na velhice e narra 50 anos na música brasileira: De Lupcínio Rodrigues à Elis Regina, do samba canção à Bossa Nova, dos aplausos ao ostracismo. Ele resiste a passagem do tempo vivendo intensamente os dias que lhe restam. Para seguir tocando bateria Argus precisa tomar decisões radicais. Sem temer a instabilidade.

Sexta, das 22h30 às 23h30

Sessão de premiação